domingo, 19 de fevereiro de 2012

ATRÁS DO POEMA

O que se esconde atrás do poema
Por ventura é realidade?
Entrega-se ao que não se tem
Estraga o que lhe convém
Sucumbe à fatalidade.

O que se esconde atrás do poema
É distração antidepressiva?
É tudo o que procura nada
Corte profundo
Lâmina afiada
É o que me resta nesta intensa vida.

O que se esconde atrás do poema
É, por acaso, um pouco atrevido?
É tensão em calma dissimulada
É canção triste e acalentada
É amor mal resolvido.

(in: Canções para os intervalos)

domingo, 5 de fevereiro de 2012

CAMALEÃO

Camaleão
Tuas mudanças
Fazem de ti
Tão bonitinho
Sobre os teus ombros
O mundo pesa
Em tuas mãos
Tens meu destino
Todas as cores
Dentro do som
Levam adiante
Tua vontade
De estar em paz
De ir em frente
De ver a vida
Bem colorida
Leio contigo
Tantos jornais
Tantas revistas
Métrica e rima
Do mesmo livro
Quero que a chuva
Molhe tua pele
Quero que o sol
Seque teus pés
Sozinho pensas
A noite inteira
Nos teus amores
Que não têm fim
Sentes o gosto
Do sal do mar
Na tua boca
Rosa e vermelha
Fazes teus planos
Crias teus filhos
São todos eles
De algum lugar
Trocas de roupa
Trocas de carro
Trocas de casa
Sem se mudar
Camaleão
Não tenhas medo
De ser amigo
Tens no teu peito
Uma certeza
Não há paixão
Que te segure
Tudo o que sopra
É o mesmo vento
E caminhamos
A mesma trilha
Sem que saibamos
Onde chegar

Camaleão
Tarde demais
Na natureza
Somos iguais


(In: Canções para os intervalos - 2011)